Obesidade infantil - Um problema presente em muitos lares

Obesidade infantil

Um problema presente em muitos lares

 
Estima-se que, em 2025, o número de crianças obesas no mundo pode ser de até 75 milhões


Por Dra. Priscila Zanotti Stagliorio

Muitas mamães adoram ver seus bebês e crianças com um pouco mais de dobrinhas para poderem morder e apertá-las, sem contar que as vovós e as titias também amam. Porém, ter uma criança acima do peso não é nada bom para a saúde e para o seu desenvolvimento como um todo. Segundo a organização Mundial de Saúde, a obesidade é um dos fatores mais preocupantes em todo o mundo e a projeção para 2025 é que cerca de 75 milhões de crianças estejam muito acima do peso. Nos adultos o número é ainda mais alarmante chegando à 2,3 bilhões de pessoas sobrepeso ou obesas. Vale lembrar que os pais são exemplos para seus filhos e, sendo assim, a alimentação saudável, prática de exercícios e cuidados com a saúde devem partir deles. O último levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em parceria com o Ministério da Saúde, informa que uma em cada três crianças entre cinco e nove anos estão acima do peso ideal recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), sendo cerca de 12% meninas e 17% meninos dentro desta faixa etária.

Aquela frase “filho de peixe, peixinho é” pode simplificar com exatidão o que desejo falar neste texto. Muitos pais não se dão conta que estão acima do peso e ou se alimentam de maneira inadequada contribuindo para a obesidade da família inteira. Uma criança não tem discernimento para escolher o que é mais saudável para ela, geralmente opta pelo o que é mais gostoso e, nem sempre, é o mais indicado. “Faça o que eu digo e não faça o que eu faço” também não funciona para usar com os filhos. Os pais, assim como outros familiares, devem se preocupar com a qualidade do alimento e não com quantidade, sabor ou ceder aos pedidos dos pequenos. Mais vale um choro hoje do que uma internação por diabetes amanhã, por exemplo. Pense nisso!

O que é obesidade infantil:
Em crianças, a obesidade infantil é determinada pelo excesso de gordura corporal que pode afetar negativamente a saúde e ou bem-estar dela. Em geral, o diagnóstico é feito com base no índice da massa corporal – o famoso IMC –, uma ferramenta de triagem fundamental para avaliar o peso de uma pessoa em relação à sua altura. Cerca de 40% das crianças e 70% de adolescentes obesos podem tornar-se adultos obesos caso não recebam atendimento adequado e não pratiquem atividades físicas com frequência.


Fatores que levam a obesidade infantil:
São muitos os fatores que podem contribuir para que uma criança se torne obesa, entre algumas estão:
·         Pré-disposição genética. É provável que filho de pais obesos possam herdar os genes para o ganho de peso com maior facilidade.
·         Alimentação inadequada. Muito além dos fast foods já conhecidos e amados pelas crianças, a má alimentação se dá pela falta de consumo de frutas, alimentos orgânicos, uso abusivo de sódio, carboidratos e gorduras saturadas, sem falar no açúcar.  
·         Noites mal dormidas e ou má administração do sono. Vale lembrar que é durante o sono que a criança libera a leptina, substância que causa saciedade, além dos picos de GH, conhecido como hormônio do crescimento que contribui na formação dos músculos e na queima de gordura. Quando não ocorre equilíbrio no organismo, há o aumento da grelina, que provoca vontade de comer.
·         Falta de atividade física. Com o uso da tecnologia e, também, pela falta de espaços adequados e segurança, muitas crianças deixaram de brincar como antigamente e não gastam energia o suficiente para a perda de peso e ou o equilíbrio entre o consumo e gastos calóricos.
·         O uso indiscriminado de antibióticos e corticoides podem contribuir para o ganho de peso. Segundo artigo publicado pela Associação Brasileira para Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (ABESO) aponta que nos últimos cinco anos os cientistas fizeram descobertas que se mostram convincentes sobre o tema.



Principais riscos da obesidade infantil:

A obesidade infantil pode trazer muitos problemas de saúde secundários como, por exemplo, hipertensão arterial, diabetes tipo 2, aumento de colesterol (hipercolesterolemia), doenças cardíacas precoces, problemas ósseos, Esteatose hepática não alcoólica, depressão, distúrbios do sono, puberdade precoce, asma e outras doenças respiratórias, problemas de comportamento como introspecção ou agressividade, problemas na derme como acnes, brotoejas e infecções fungicas.


O que fazer:
Em geral, os pais demoram a identificar que seus filhos estão sobrepeso e ou obesos, o que provoca um diagnóstico tardio. O ideal é manter as consultas regulares com o pediatra para uma avaliação correta e indicações de outros profissionais, caso seja necessário. O uso de medicamentos não é recomendado, exceto em casos de doenças crônicas e sempre com indicação médica.
Procure atividades lúdicas e físicas (com aprovação do pediatra) que contribuam para que a criança gaste mais energia do que consome. Além de garantir boa forma, promove sociabilidade, disciplina e estilo de vida saudável para a família toda.



Fontes bibliográficas:

Outros textos interessantes para ler:
- A alimentação além dos aspectos nutricionais

- Saiba mais sobre a vacinação contra a dengue:

- Saiba tudo sobre o Rotavírus:

- Febre – Mitos e Verdades:

- Meningite:

- Síndrome Pé-Mão-Boca:

- Uso de Repelentes Infantis:

- Engasgo Infantil – primeiros socorros:

Quer receber dicas de saúde e bem-estar?
Então cadastre-se no nosso site (http://pediatraonlinedicasdepediatraemae.blogspot.com.br)  e curta a nossa página no Facebook – Pediatra On line - @dicasdepediatraemae

Sobre Dra. Priscila Zanotti Stagliorio
É médica pediatra há mais de dez anos, atua na zona norte de São Paulo, em consultório particular, no Pronto Socorro do Hospital São Camilo – unidade Santana, e na rede Dr. Consulta – unidades Tucuruvi e Santana. Em seu currículo possui diversas participações em congressos, cursos de especialização e atuações em prontos socorros, clinicas e ambulatórios médicos da grande São Paulo – Capital. Oferece curso personalizado para gestantes e mamães com recém-nascidos, com o objetivo de ajudá-las na mais importante missão de suas vidas: ser mãe. Para solicitar informações sobre os cursos escreva para:  priscilazs@yahoo.com.br / dicasdepediatraemae@gmail.com / contato@jcgcomunicacao.com - coloque no assunto a informação que deseja saber e ou solicitar. O consultório está localizado na Av. Leôncio de Magalhães, 395, Santana- SP / 11- 2977-8697.

Colaboração textual:
Agência Informação Escrita / Agência JCG Comunicação e MKT
Jornalista Carina Gonçalves – MTB 48326

11-4113-6820 / contato@jcgcomunicacao.com